Um café absolutamente orgásmico!

Um café absolutamente orgásmico!

A resposta há questão que estava no artigo anterior, é sim, sim voltámos a encontrar-nos… Depois de uma primeira vez tão intensa seria de esperar que algo nos abranda-se, pelo menos foi o que pensei, e como estava enganada! Felizmente o desejo não desapareceu, mesmo tendo passado algum tempo o sentimento continuava talvez um pouco mais forte, sem bem que não podia ainda ter um nome especifico, talvez eu me sentisse mais próxima dele, talvez ele não quisesse demonstrar o que sentia mesmo, mas a questão é que a tesão e a excitação ainda era bem visível!

Mas o encontro inicial deu-se entre amigos, ninguém sabia o que se tinha passado, talvez isso tenha aumentado ainda mais o desejo de repetir mas ali, naquela sala de café nada se podia fazer; apenas a troca olhares que nos lembravam do que se tinha passado, flashbacks que nos fizeram pensar se se voltaria a repetir e quando… A resposta não tardou, levantei-me porque tinha que ir à casa de banho, e para minha surpresa quando sai lá estavas tu, parado, encostado à parede a olhar para mim com fogo nos olhos como quem me queria ter ali mesmo!

A noite já estava quase no fim, mas isso não te impediu de me agarrar ali mesmo e levar-me para dentro da casa de banho, beijaste-me com vontade, senti-te novamente, os teus lábios tocaram nos meus e as línguas voltaram novamente a dançar! Mas desta vez senti que não era apenas desejo e tesão, talvez algo mais mas nunca abriste a boca, apenas notei fogo no teu olhar; Encostaste-me à parede e pegaste-me ao colo, tentando penetrar-me logo ali, não houve sequer tempo para preliminares, ou pensavas tu. Não deixei que me fizesses nada, gosto de mandar e sabes bem disso!

Encostei–te à parede e comecei por te beijar, mas aproveitei as mãos livres para te despir da cintura para baixo, além de cheiraras bem, tinhas um boxer’s pretos justos que me deixaram logo com vontade de não te largar mais, mas não havia tempo para isso, agarrei no teu pénis e meti-o na boca, agarraste-me na cabeça e olhei para ti e percebeste que não o devia de fazer, acabaste por apenas me acariciar a cara, “odeio que me façam isso!” foi só o que te disse e tu respeitaste a minha vontade.

Entre várias técnicas aplicadas para o sexo oral, fiz-te algo que te deixou completamente louco de tesão, introduzi todo o pénis na boca, olhaste para mim sem saber bem o que dizer ou fazer, porque afinal a minha promessa de te fazer sonhar foi bem aplicada, não te aguentaste e quase que ejaculaste, mas nada para cima de mim e muito menos para a minha boca, isso nem pensar!

Achavas que aguentavas muito mas afinal acabei por te mostrar que há coisas que não se explicam apenas se fazem, foi então que me puxaste para cima e começaste tu a fazer-me sexo oral, não há nada melhor do que estar numa casa de banho sem poder fazer barulho e ter tanto prazer como o que me fizeste sentir. A tua língua parecia saber exactamente onde tocar e o que fazer, além do mais os teus dedos pareciam mágicos pois só tocavam no sítio certo, sitio esse que só me fazia gritar e gemer mas não podia fazer barulho pois estávamos num sítio público!

O meu orgasmo chegou finalmente e com ele a vontade de te sentir ainda mais, tudo o que tinha sido feito até àquele momento não chegava, precisávamos de sentir o corpo um do outro; E não é que para meu espanto já estavas pronto a entrar em acção, como tal estavas completamente erecto e pronto para uma nova ronda, o meu corpo tremia pois o orgasmo tinha sido de facto demasiado forte mas mesmo assim não conseguia aguentar, tinha que te ter completamente dentro de mim!

Voltamos à posição inicial, agarraste em mim e voltaste a encostar-me à parede, desta vez já sem nada vestido, ambos estávamos numa posição perfeita; Estavas completamente erecto e puxaste a minha perna direita para cima, consegui encostar-me ainda mais a ti, foi então que me penetraste.

Soltei um pequeno gemido, não me consegui conter pois o orgasmo anterior parecia ainda estar a ter efeito no meu corpo nu! A penetração foi alternada, entre algo mais rápido e ao mesmo tempo mais calmo, a minha excitação era cada vez maior e não me consegui aguentar mordi-te o pescoço e arranhei-te as costas, deixei-te marcado, mas não te importaste muito!

Não aguentando de tanta excitação acabaste por me pegar mesmo ao colo, senti-te ainda mais dentro de mim, cada vez maior e mais excitado, encostaste-me novamente à parede e penetraste-me enquanto me beijavas; Não sabia como estava a aguentar não fazer barulho, mas assim foi, querias mandar mas chegou a um certo ponto em que atingiste um novo orgasmo e como não queria ficar atrás agora era a tua vez de me aguentar.

Continuei ao teu colo, desta vez as minhas pernas faziam força contra os teus gémeos, sei que até podia parecer pesada mesmo depois de teres atingido o orgasmo, mas afinal e contas não perdeste a força, talvez tenhas ganho algo mais, não sei explicar, o meu corpo ficou completamente colado ao teu, o suor caia mas isso não importou. Comecei a mexer o meu corpo para cima e para baixo, as tuas mãos agarraram o meu rabo e senti-te novamente a crescer, foi assim talvez tenhamos tido mais um orgasmo múltiplo.

“Nunca consegui atingir tantos orgasmos num curto espaço de tempo como o faço contigo!”- Exclamaste enquanto sorrias e me beijavas…

“A química não se explica, apenas acontece”, foi o que te disse e durante alguns segundos trocámos mimos; tivemos que voltar para a mesa, sinceramente não me apetecia, queria apenas sair dali com ele, encontrar um quarto de hotel e deixar que a noite fizesse novamente de nós seus escravos.

Voltamos separados, sai primeiro que ele e fingi que estava ao telemóvel, a minha desculpa foi que tinha estado ao telefone com uma amiga, a dele foi de ter encontrado uma pessoa conhecida. Sorte é que já estavam todos demasiado tocados para perceber a nossa ausência!

Sentámo-nos à mesa e tudo mudou, a troca de olhares era agora intensa e nada discreta, mas felizmente todos quiseres ir embora, e nós não deixámos que nada nos parece, saímos do bar e fomos para o hotel mais próximo, dando continuação ao que tanto queríamos… Devo confessar que a noite ficou para a história, mas isso ficará para contar mais tarde!

Deixar uma Mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.